Futuro: moradias saudáveis

A localização, o alto padrão em acabamento e uma infraestrutura espetacular contam muito no momento de comprar um imóvel, mas já imaginou uma residência com um projeto exclusivo para a sua saúde e seu bem estar? Esse é o conceito do novo empreendimento do Grupo RKM que fará, em Belo Horizonte, o primeiro prédio saudável, com base em pesquisas em diferentes partes do mundo. A inovação é pensar a saúde como parte integrante de cada espaço do imóvel, com elementos que permitem ao morador mais energia para se sentir saudável e confortável.

“As pessoas têm, cada vez mais, buscado saúde na alimentação, em exercícios, em roupas e móveis ergonomicamente corretos. Percebemos essa preocupação e iniciamos nossas pesquisas de como um apartamento pode beneficiar a saúde do cliente”, afirma a diretora-geral Adriana Bordalo.

As soluções para uma vida saudável para o morador são muitas. A diretora da RKM conta que a  empresa contratou um consultor em geobiologia, área que estuda a saúde das construções a partir do local onde vivem. “Ele buscou anomalias no subsolo a partir da radiestesia e campos magnéticos, para que esses lugares não fossem ocupados por espaços de longa permanência do morador, como quartos”, afirma.

Um estudo sobre a bioclimática do local para otimizar a utilização de recursos naturais como vento, iluminação natural, e assim proporcionar, através de grandes janelas, ambientes que não mofem ou provoquem qualquer tipo de alergia ou doenças como a deficiência de vitamina D causada pela falta da luz direta do sol.

Com previsão de lançamento em agosto, o residencial também terá uma grande área verde em seu entorno, com o adendo de que nenhuma planta tóxica foi plantada para evitar qualquer tipo de incidente. Os moradores também contarão com uma horta e um pomar, com plantas comestíveis e adubação orgânica.

Adriana observa que a parte do acabamento de todos os apartamentos também terá modificações. Materiais tóxicos ou com metais pesados como chumbo e cobre, geralmente presentes em pinturas ou até mesmo para colar pisos de madeira não serão mais utilizados. “O Grupo RKM está pesquisando produtos que não tenham qualquer toxidade para utilizar nesse prédio”, afirma a diretora-geral.

O empreendimento também se preocupa com a sustentabilidade e possui projetos para o uso eficiente da água, energias e materiais. Conta com aquecimento solar no prédio e também uma miniestação de tratamento de água utilizada em todo espaço.

“O prédio saudável é uma aposta da RKM tanto no alto nível e qualidade do empreendimento, agregando um valor fundamental que nosso cliente tem buscado, o da saúde.”

 

Fonte: Viver Casa

Matéria: Futuro: moradias saudáveis